Relatório da Comissão Europeia mostra tendências do acesso aberto (Open Access)

Recentemente a ciência aberta emergiu como uma tendência poderosa na política de pesquisa. Para esclarecer, a abertura sempre foi um valor central da ciência, mas significava publicar os resultados de pesquisa em um artigo de periódico.

Hoje, há consenso de que, garantindo o maior número possível de acessos a publicações e reutilização de dados, códigos e outros produtos intermediários, a produtividade cresce, a má conduta científica torna-se mais rara, as descobertas são aceleradas. Ainda assim, também está claro que o progresso em direção à ciência aberta é lento.

Nesse contexto, o Open Science Monitor (OSM) foi criado pela Comissão Europeia com o objetivo de monitorar tendências de Ciência Aberta e fornecer dados e informações necessárias para apoiar a implementação de políticas de acesso aberto. Reúne as melhores evidências disponíveis sobre a evolução da Open Science, seus drivers e impactos, com base em vários indicadores, bem como em um conjunto rico de estudos de caso. 

Em Relatório intitulado “Trends for open access to publications” [1], publicado recentemente (Abril de 2019), o Open Science Monitor apresenta informações e estudos de casos que abrangem o acesso a publicações científicas, dados bibliométricos, bem como dados sobre as políticas de financiadores e mandatos de periódicos.

Quais informações estão disponíveis?

O acesso aberto a publicações refere-se à possibilidade de acessar livremente publicações de pesquisa. Estas estão divididos em:

  • Golden Open Access: resultados de pesquisa disponíveis em publicações que são de acesso aberto pelo editor; as publicações estão disponíveis gratuitamente no site da revista, devido às taxas pagas pelo autor.
  • Green Open Access: resultados de pesquisa disponíveis em publicações que não são de acesso aberto pelo editor, mas que o autor deposita de forma independente em um repositório de acesso aberto.

No Relatório são apresentadas as tendências da ciência aberta, baseadas no Quadro conceitual abaixo.

Os indicadores sobre como as políticas de periódicos e agências de financiamento favorecem o acesso aberto, e a porcentagem de publicações (verde e ouro) realmente disponíveis por meio do acesso aberto. As tendências são monitoradas a partir das categorias apresentadas a seguir.

Os indicadores abrangem dados bibliométricos sobre publicações, bem como dados sobre políticas de financiadores e periódicos. Indicadores e estudos de caso serão atualizados ao longo do tempo. Para mais informações, consulte a metodologia do Relatório.

Acesso aberto a publicações

Esses dados, coletados por meio da análise de dados Scopus e dados Unpaywall mostram a porcentagem de publicações em acesso aberto. É apresentado por ano (Figura 1), por país (Figura 2) e disciplina (Figura 3). 

Figura 1 – Porcentagem de publicações em acesso aberto por ano

Figura 2 – Porcentagem de publicações em acesso aberto por país

Figura 3 – Porcentagem de publicações em acesso aberto por disciplina

Nota: As publicações de OA contam todas as publicações de acesso aberto independentemente do tipo (ouro, verde, bronze, híbrido) apenas uma vez (o que exclui a contagem dupla de publicações). As publicações em ouro e verde contam o número máximo de publicações disponíveis para cada categoria considerada. Como a sobreposição de publicações em ambas as categorias ocorre com freqüência, qualquer resumo desses dois tipos incluirá a contagem dupla de publicações.

Políticas dos financiadores

Este indicador apresenta os tipos de mandatos estabelecidos pelos financiadores da pesquisa referentes à publicação e arquivamento de acesso aberto, conforme exibido no banco de dados Sherpa Juliet. O gráfico de pizza abaixo representa o total de dados.

Figura 4 – Número de financiadores com políticas de acesso aberto – publicação – pelo tipo de mandato e país

Figura 5 – Número de financiadores com políticas de acesso aberto – arquivamento – pelo tipo de mandato e país

Políticas de revistas de pesquisa

Este indicador apresenta os tipos de mandatos estabelecidos pelos periódicos dos financiadores de pesquisa referentes às políticas de arquivamento de acesso aberto, conforme exibido no banco de dados Sherpa Romeo . O gráfico de pizza representa o total de dados.

Figura 6 – Número de políticas de arquivamento, pelo tipo de mandato e país
Indicadores adicionais

Existem muitos outros indicadores para monitorar o acesso aberto, como:

Estudos de caso

Você pode encontrar aqui um conjunto de estudos de caso detalhados disponíveis para download, que serão atualizados no decorrer do estudo e mais estudos de caso serão adicionados no futuro.

Pesquisa aberta no Reino Unido

Políticas de pesquisa no Reino Unido com relação a acesso aberto e dados abertos.

Iniciativa de Pesquisa e Ciência Aberta Finlandesa

Uma iniciativa com o objetivo de tornar a Finlândia um dos países líderes em ciência e pesquisa abertas até o ano de 2017. Foi realizada em cooperação com ministérios, instituições de pesquisa e ensino superior e financiadores de pesquisas.

Expandindo Fontes de Dados para a Medição da Ciência Aberta

Uma comparação entre os resultados da primeira análise sobre publicação em Acesso Aberto como realizada para o Open Science Monitor e os resultados de um estudo realizado para outro projeto europeu, o Key Technology Domains (KTD).

Plano holandês de ciência aberta

Três principais ambições para a ciência aberta: 100% de acesso aberto a publicações, dados de pesquisa perfeitamente adequados para reutilização e sistemas de valorização e avaliação para reconhecer e recompensar os pesquisadores.

Repositório de Acesso Aberto da Ciência Social

Um banco de dados de artigos de pesquisa em ciências sociais de acesso aberto.

Projeto de reprodutibilidade

Um esforço colaborativo para replicar 100 experiências de psicologia.

Zenodo

Um repositório de acesso aberto de uso geral de dados de pesquisa e publicações de periódicos.

== Referência ==

[1] EUROPEAN COMMISSION. Trends for open access to publications. s.l., 2019. Disponível em: https://ec.europa.eu/info/research-and-innovation/strategy/goals-research-and-innovation-policy/open-science/open-science-monitor/trends-open-access-publications_en Acesso em 14 agosto 2019.